Vivemos em tempos que não nos é mais permitido sofrer.

O capitalismo desenfreado e o imediatismo nos compelem a guardar nossas dores em um baú trancado a sete chaves em um sótão escuro no fundo de nossa alma. Um baú que somente abrimos para guardar novas dores.

Você tenta ignorar seu conteúdo negando sua existência, mas ele continua lá, e você vai preenchendo sua vida com seus afazeres, sua família e o seu trabalho. Até que um dia o baú vai estar cheio demais, você vai sentir aparecerem incertezas sobre suas escolhas e sobre o modo como você leva sua vida.

Na solidão de nossa mente percebemos que algo dentro de nós mudou. Não entendemos direito o que é, nem onde se originou.  São tantos sentimentos guardados que eles se misturaram se fundindo numa única nuvem negra de melancolia.

Você vai se sentir perdido, um corpo numa câmara vazia e escura, uma pedra lançada ao fundo do mar. Seus pensamentos irão buscar a lucidez mas só encontrará duvidas, incertezas e um turbilhão de momentos de dor, que farão seu espírito sucumbir a loucura no vazio escuro dessa melancolia.

♫ Quando a poeira baixar
♫ E a vitória for negada
♫ e o paraíso estiver perdido
♫ Nós pagaremos o preço
♫ Mas não contaremos o custo.

E quando sua sanidade finalmente parecer estar lhe abandonando, você irá se lembrar que precisa ser forte um pouquinho mais, pois a nós (principalmente aos homens) é proibido sofrer.

O que nos resta, é esconder nossas lágrimas e seguir em frente

♫ Pois garotos não choram,
♫ Garotos não choram…
 
Músicas:
Rush – Bravado
The Cure – Boys Dont Cry
 
 

Deixe uma resposta